domingo, 25 de janeiro de 2009

SAMPA - PARABÉNS!!!

Theatro Municipal de São Paulo


Museu de Arte Moderna de São Paulo - MASP




Alguma coisa acontece
No meu coração
Que só quando cruza a Ipiranga
E a Avenida São João
É que quando eu cheguei por aqui
Eu nada entendi
Da dura poesia concreta
De tuas esquinas
Da deselegância discreta
De tuas meninas…

Ainda não havia
Para mim Rita Lee
A tua mais completa tradução
Alguma coisa acontece
No meu coração
Que só quando cruza a Ipiranga
E a Avenida São João…

Quando eu te encarei
Frente a frente
Não vi o meu rosto
Chamei de mau gosto o que vi
De mau gosto, mau gosto
É que Narciso acha feio
O que não é espelho
E a mente apavora o que ainda
Não é mesmo velho
Nada do que não era antes
Quando não somos mutantes…

E foste um difícil começo
Afasto o que não conheço
E quem vende outro sonho
Feliz de cidade
Aprende depressa
A chamar-te de realidade
Porque és o avesso do avesso
Do avesso do avesso…

Do povo oprimido nas filas
Nas vilas, favelas
Da força da grana que ergue
E destrói coisas belas
Da feia fumaça que sobe
Apagando as estrelas
Eu vejo surgir teus poetas
De campos e espaços
Tuas oficinas de florestas
Teus deuses da chuva…

Panaméricas
De Áfricas utópicas
Túmulo do samba
Mais possível novo
Quilombo de Zumbi
E os novos baianos passeiam
Na tua garoa
E novos baianos te podem
Curtir numa boa…

De Caetano Veloso

2 comentários:

Anônimo disse...

O JORNAL "THE NEW YORK TIMES",
FREQUENTEMENTE PUBLICA ARTIGOS E REPORTAGENS SOBRE A CIDADE DE SAO PAULO, USANDO ADJETIVOS COMO INOVADORA, GIGANTESCA, SOFISTICADA, CHIQUE, UNICA, ETC...
REALMENTE SAO PAULO E ADMIRAVEL, PARABENS AOS BRASILEIROS POR TEREM CONSTRUIDO UMA METROPOLE COMO ESSA, ADMIRADA ATE POR NOVA YORK.
OS TEMPOS MUDARAM.

VMWELTE disse...

Olá, anônimo!

Muito bom saber que o Jornal "The New York Times" fala sobre o Brasil bom, positivo e construtivo.

Além do mais, São Paulo bem merece boas referências. Há pouco criaram o Museu da Palavra (idioma português) é, simplesmente, fantástico. Imperdível.

Grata pelo seu comentário.

Abraços fraternos;

Vania Mara Welte