terça-feira, 1 de abril de 2008

AMIGO, UM ENSAIO

Difícil querer definir amigo. Amigo é quem te dá um pedacinho do chão, quando é de terra firme que você precisa, ou um pedacinho do céu, se é o sonho que te faz falta.

Amigo é mais que ombro amigo, é mão estendida, mente aberta, coração pulsante, costas largas. É quem tentou e fez, e não tem o egoísmo de não querer compartilhar o que aprendeu. É aquele que cede e não espera retorno, porque sabe que o ato de compartilhar um instante qualquer contigo já o realimenta, satisfaz. É quem já sentiu ou um dia vai sentir o mesmo que você. É a compreensão para o seu cansaço e a insatisfação para a sua reticência.

É aquele que entende seu desejo de voar, de sumir devagar, a angústia pela compreensão dos acontecimentos, a sede pelo "por vir". É ao mesmo tempo espelho que te reflete, e óleo derramado sobre suas aguas agitadas. É quem fica enfurecido por enxergar seu erro, querer tanto o seu bem e saber que a perfeição é utopia. É o sol que seca suas lágrimas, é a polpa que adocica ainda mais seu sorriso.

Amigo é aquele que toca na sua ferida numa mesa de chopp, acompanha suas vitórias, faz piada amenizando problemas. É quem tem medo, dor, náusea, cólica, gozo, igualzinho a você. É quem sabe que viver é ter história pra contar. É quem sorri pra você sem motivo aparente, é quem sofre com seu sofrimento, é o padrinho filosófico dos seus filhos. É o achar daquilo que você nem sabia que buscava.

Amigo é aquele que te lê em cartas esperadas ou não, pequenos bilhetes em sala de aula, mensagens eletrônicas emocionadas. É aquele que te ouve ao telefone mesmo quando a ligação é caótica, com o mesmo prazer e atenção que teria se tivesse olhando em seus olhos. Amigo é multimídia.

Olhos... amigo é quem fala e ouve com o olhar, o seu e o dele em sintonia telepática. É aquele que percebe em seus olhos seus desejos, seus disfarces, alegria, medo. É aquele que aguarda pacientemente e se entusiasma quando vê surgir aquele tão esperado brilho no seu olhar, e é quem tem uma palavra sob medida quando estes mesmos olhos estão amplificando tristeza interior. É lua nova, é a estrela mais brilhante, é luz que se renova a cada instante, com múltiplas e inesperadas cores que cabem todas na sua íris.

Amigo é aquele que te diz "eu te amo" sem qualquer medo de má interpretação : amigo é quem te ama "e ponto". É verdade e razão, sonho e sentimento. Amigo é pra sempre, mesmo que o sempre não exista.

(Enfim, o autor deste texto: Marcelo Batalha. Ele o escreveu em 20 de outubro de 1996)

(Marcelo Batalha enviou a correção em um comentário nesta terça-feira, 1º de Abril de 2008, ás 05:09. Espero que não seja um trote do Dia da Mentira. VMW)

4 comentários:

Marcelo Batalha disse...

Pode crer que não é trote. :)

Grande abraço, obrigado pela citação.

Marcelo
http://www.geocities.com/marcelobatalha

Thea disse...

Acabo de visitar teu blog... uma delícia de leitura, uma brisa suave na internet nossa de cada dia. Bem Vânia Mara Welte.

VMWELTE disse...

Caro Marcelo:

Você viu o que escrevi em resposta ao seu comentário?

Está lá, no primeiro texto - onde ainda havia "autoria duvidosa", porque não se tinha certeza sobre quem era o pai daquela obra.

Dá uma espiadinha, por favor.

Grata pelo seu retorno.

Abraços fraternos;

Vania Mara Welte

VMWELTE disse...

Thea, querida amiga:

Olha só quem fala em bom texto... Logo você que parece um Graciliano Ramos de saias.

Olha, amiga, eu bebo os seus textos. Eu me delicio com as suas histórias humanas, singelas, engraçadas e, ao mesmo tempo, com enormes ensinamentos de vida.

Seus textos são MA-RA-VI-LHO-SOS!

Logo, Thea, um elogio seu é como um prêmio para mim.

Gratíssima.

Beijos, com carinho e admiração;

Vania Mara Welte