domingo, 9 de março de 2008

REFLEXÕES

..."Pegue para você o que lhe pertence,
e o que lhe pertence é tudo
o que sua vida exige.
Parece uma vida amoral.
Mas o que é
verdadeiramente imoral
é ter desistido de si mesma."


...”Sou como você me vê
Posso ser leve como uma brisa,
ou forte como uma ventania,
depende de quando,
e como você me vê passar" !

Poemas de Clarice Lispector

7 comentários:

Joka Madruga disse...

Belo blog querida amiga Vânia!!
Tua sensibilidade nos contagia. E alegra nosso dia a dia. Adoro você.

Tá linkada no meu blog.

Beijos

VMWELTE disse...

Joka, meu amado amigo:

Veja só quem fala em sensibilidade...
A sensibilidade personificada, que atende pelo nome de Joka Madruga.

Fico feliz que tenha gostado do que eu faço para meu prazer próprio.

Gostaria de receber umas fotos suas para publicar aqui.
O que me diz?!

Beijos, com imenso carinho;

Vania

Anônimo disse...

Belo blog, mais eu quisera facer meu consulta en espanhol.
Me dirijo a ti por tu apellido Welte, tambien el mio, nos. somos los unicos Welte en Chile y tengo algunas dudas de genealogia que poiblemente como eres periodista te interesen y me puedas aportar mas informacion. Mi abuelo Gaspar Welte y su hermana llegaron niños a Chile en 1906 app, los acompañaba su madre H. Helman, quien murio en la cordillera, mi abuelo me conto hace mucho, antes de morir que venian de babaria, cerca de Munish y que al pasar por Brasil se quedo su hermano mayor al Sur de tu pais, del cual probablemente desiendas tu , estaria muy agradecido si pudieras entregarme mayor informacion de esta historia, de todas formas agradesco tu atencion y te felicito por tu blog
Rene Welte Kern
renewk@gmail.com

Joka Madruga disse...

Pode deixar, enviarei algumas fotos para vc sim... hehehehe. Obrigado pelo espaço.

Beijao

kaptankusto disse...

Prencess Olá! Como você está? Obrigado por RİZE fot! Sim você está realmente com prencess me .. Não se esqueça .. Um dia entrar em rize e fizer visitar sua casa

VMWELTE disse...

Ol� Rene Welte Kern:

Muito prazer em falar com voc� seja meu parente ou n�o.

Grata pela sua mensagem e por ter gostado de meu Blog. Continue comigo. Vou gostar muito.

Caro Rene, os meu antepassados vieram do Norte da Alemanha. Somos
descendentes dos Celtas (veja a hist�ria no anexo que lhe envio por e-mail).

O meu bisav� veio muito jovem da Alemanha. O nome dele era Fernando. Ele se casou com uma bela jovem, tamb�m alem� chamada Anna. Eles fixaram resid�ncia em, Joinville (Santa Catarina).

Ap�s alguns meses de casados, meu bisav� Fernando, tornou-se um homem violento com minha bisav� e os filhos. Viajava muito e cada vez que chegava em Joinville, deixava uma semente no ventre de minha bisav� Anna.

Assim, eles tiveram 10 filhos. Mas a viol�ncia de meu bisav� causava revolta at� entre a vizinhan�a. J� a delicadeza e a beleza de minha bisav� carreava a simpatia, principalmente, dos homens.

Certo dia, o delegado da cidade, perguntou se a minha bisav� gostaria de fugir e mudar desse tipo de vida. Ela respondeu que "sim". Ent�o ambos combinaram que ela venderia tudo o que a fam�lia tinha: terras, caminh�o, cria�o... ficando apenas com
uma carro�a e cavalos de bom porte.

Dessa vez, quando o meu bisav� chegou, como sempre, depois de uma longa aus�ncia, foi ao bar beber muito. E, l� arranjou uma briga. O delegado foi chamado e o prendeu.

Enquanto isso, minha bisav� colocou seus poucos pertences e os seus 10 filhos (verdadeiros tesouros) e saiu na noite escura em dire�o a Curitiba, onde chegou depois de muitos dias e noites de viagem.

Para mim, ela, a minha bisav� Anna, � a minha hero�na preferida.

Imagine tudo o que ela deve ter passado nessa viagem... Uma ousadia imensa, pois as estradas eram p�ssimas.

A bisav� Anna chegou em Curitiba e se fixou na rua Augusto Stresser, onde comprou uma casa e uma padaria, com a qual sustentou os 10filhos.

Algum tempo depois, um cidad�o apaixonou-se pela bela alem� e a pediu em casamento. Ela s� aceitou quando ele disse que ajudaria a criar e a educar os seus 10 filhos como se fossem os seus filhos. Ela se casou com ele e, ainda tiveram mais uma filha, Cila. Todos foram muito felizes.

A hist�ria foi levantada pelo meu irm�o Valdir Roberto Welte, que trabalha para a ONU, morava na It�lia, e queria obter a dupla cidadania para o seu filho Fabian -hoje, formado em Arquitetura.

Para mim, � uma hist�ria de luta e
garra da mulher descendente dos Celtas.

Ah! O que aconteceu com o meu infeliz av� Infelizmente, ele bebia demais, era fanfarr�o e mulherengo - dizem, tamb�m, que era um belo homem.

E em uma desses suas investidas de Don Juan, foi assassinado, com uma machadada na cabe�a, por um marido
tra�do. Triste fim.

J� o meu av� chamava-se Otto. Era um homem esbelto, de olhos azuis profundos, pele muito alva, cabelos loiros e eu o amava muito.

Ele tamb�m foi dono de uma
padaria. Os nomes que me lembro dos irm�os dele eram Gustavo, Rodolfo, Germano, Henrique, Cila, e Ren� (o �nico ainda vivo e que mora em Curitiba). Era jogador de futebol, do Coritiba Footbol Clube.

Mais tarde, posso enviar outras informa�es.

Abra�os fraternos;

Vania Mara Welte

VMWELTE disse...

Olá, Islam!

É sempre uma alegria receber o seu carinho e atenção.

Abraços, com imenso carinho;

Vania Mara Welte